Existe uma fórmula capaz de explicar tudo? A matemática é a carreira do futuro? Que problemas da vida diária você pode explicar? Mais do que nunca, aqueles que entendem essa linguagem universal - cheia de beleza e desafios - serão aqueles que podem entender, analisar e dominar o mundo da Era Digital. Marcus du Sautoy, o matemático das estrelas da Netflix, falou exclusivamente com a Infobae para abrir as portas para um mundo fascinante.

Professor na Universidade de Oxford, conhecida em todo o mundo, ganhando prêmios importantes, escritor, amante Borges e números, Du Sautoy é um "Senhor" encantador de serpentes que gosta de ensinar o que o obcecava ao longo de sua vida: os segredos do " O código".

matemática

 

Todo o universo - de como a natureza funciona, à dinâmica das multidões nas grandes cidades - é governado por uma ordem matemática específica, uma construção abstrata de números que pode nos fornecer a descrição mais detalhada do nosso mundo que já tivemos.

Tão mágico quanto surpreendente. O que os ciclos da cigarra têm em comum com o movimento das ondas, as formas das dunas, a música, a arquitetura dos templos ou os algoritmos do Google? A resposta está no código, aquela série de padrões que não apenas dão sentido às coisas que se vê, mas também explica o passado e prevê o futuro com uma precisão surpreendente.

"Como matemático, sou fascinado pelos números e padrões que vemos ao nosso redor. Passei toda a minha vida profissional estudando-os e, para mim, eles são muito mais do que entidades abstratas ", disse ele. "Os clérigos medievais pensavam que esses" números divinos "haviam sido criados por Deus e que eles tinham o poder de aproximá-los dele. Mas, para mim, eles são a evidência de que há algo mais: um código oculto subjacente ao mundo à nossa volta, um código que tem o poder de desvendar as leis que governam o universo e que constituem a chave que explica o significado de tudo "

Mas também, quando nos movemos para essa nova era digital, acontece que mais do que nunca, a matemática faz parte do cotidiano e molda o mundo em que vivemos , mesmo que não os vejamos ou compreendamos. Descobri-los, ou redescobri-los, será uma ferramenta indispensável para nos proteger da manipulação da tecnologia e para compreender, com nossos próprios critérios, a realidade social em que nos encontramos.

-Qual é o código?

O código para mim é matemática. Eu acredito que o universo parece ter sido criado a partir de regras matemáticas. Olhe para onde você olha, você será capaz de encontrar a matemática oculta em profundidade. Se você olhar para o modo como a natureza constrói as coisas, a maneira como o universo se desenvolveu, a partir do Big Bang. Então é por isso que decidi fazer este programa chamado "O Código" ( O Código ). Porque, para mim, o código ajuda você a entender o modo pelo qual o universo opera. É o código da matemática.

-Como é o código juntos? Por que os números primos são tão importantes?

-Porque são os tijolos que compõem o código. Exactamente da mesma maneira em átomos químicos que são a parte mais importante da tabela periódica, tais como o carbono e o oxigénio, formando o mundo de moléculas-me, como um matemático, números primos, os números indivisíveis são eles que constroem todos os outros números. Da mesma forma que a água é composta de um átomo de oxigênio e dois átomos de hidrogênio, se você pegar um número como 105, ele não é primo, mas você pode dividi-lo por 3 x 5x 7. Então esses números primos são de alguma forma Como os átomos da matemática, é por isso que eles são tão importantes.

-Quantos dos problemas da vida cotidiana podem ser resolvidos usando a matemática?

-Muitos mais do que suspeitamos e temos muitas evidências ao nosso redor. Muitos dos avanços tecnológicos que fizemos ao longo desses milênios poderiam ter sido possíveis graças à matemática. Eu diria que a matemática explodiu, há mais de 4 mil anos, quando os egípcios e os babilônios começaram a construir novas cidades. Para fazer isso, eles tinham que entender matemática.

Por exemplo, a descoberta do número Pi vem dos egípcios, quando, por razões fiscais, eles tentavam entender como avaliar áreas de terra que não eram retangulares, mas sim circulares. Os babilônios introduziram a idéia de numeração baseada em 60. Agora usamos 60 minutos em uma hora, por causa disso.

O cientista diz que a matemática explodiu, há mais de 4 mil anos,

O cientista diz que a matemática explodiu, há mais de 4 mil anos.

Mas mesmo se passarmos para o presente, o fato de podermos conversar e ver nossa imagem neste momento, apesar de eu estar em Nova York e você na Argentina, isso tem a ver com o uso inteligente do código matemático para transformar minha voz em uma transmissão digital de 0 e 1 que são projetadas em um satélite, que então vai para a Argentina.

O fato de que existem muitas interferências no caminho, mas que, no entanto, tudo pode ouvir sua voz com clareza, que é o poder da matemática. Então eu acho que eles vão continuar a transformar o mundo ao nosso redor.

Estamos chegando ao momento emocionante de ter veículos autônomos. O fato de o carro poder saber como lidar com ele é graças a um uso extraordinariamente inteligente da matemática. Assim, todos ao nosso redor, mesmo que não percebamos, são construídos com base e baseados na matemática.

Quão importante é para uma pessoa comum conhecer matemática nesta nova era digital?

- Eu acho que é uma pergunta muito boa, porque de repente eu não preciso saber como meu iPhone funciona para poder usá-lo. Mas eu acredito que, mais e mais, ser capaz de tomar boas decisões - politicamente, economicamente - se você não for capaz de entender o que está por trás da tecnologia, vai tornar muito mais complicado tomar essas decisões de uma certa maneira. Então, por exemplo, se você quer entender a mudança climática - por exemplo, com o que eles dizem nos Estados Unidos, que é uma invenção dos chineses, ou que as evidências não são realmente tão conclusivas quanto os cientistas dizem -  para que você realmente seja capaz de tomar uma decisão informada sobre isso, você deve ser capaz de entender o que os dados significam e como eles são interpretados.

Bibliografia recomendada:   A arte matemática de Escher

É por isso que estamos sendo cada vez mais manipulados pelos algoritmos que controlam nosso mundo digital. Mas se você é capaz de entender como esses algoritmos funcionam, você pode evitar ser "peloteado" daqui para lá e você pode se fortalecer com um conhecimento mais profundo da tecnologia.

- Cedric Villani, matemático francês, diretor do Instituto Poincaré, argumenta que a matemática é a profissão do futuro. Você compartilha essa visão?

Sim Eu acho que se nós olharmos quem são os grandes jogadores em tecnologia e as pessoas que os criam, eles são todos matemáticos . Pense Larry Page ou Sergey Brin são dois líderes de algo super poderoso, como o Google. Eles são matemáticos que entenderam o poder da matemática para transformar a Internet.

Então, acho que aqueles que aprendem matemática serão aqueles que têm poder no futuro. Mas isso não significa que apenas pessoas inteligentes devam saber sobre matemática, porque nossas vidas serão tão influenciadas pela matemática, será muito importante que todos os membros da sociedade aprendam o poder dessa linguagem para mudar e entender o que Isso acontece na sociedade.

Du Sautoy valida o poder da matemática para transformar a Internet

Du Sautoy valida o poder da matemática para transformar a Internet.

- A matemática pode ser divertida?

-Absolutamente. Essa é a razão pela qual eu cuido deles. Eu acho que a principal razão pela qual os matemáticos estudam matemática é porque há beleza nos números, porque é divertido, porque é algo universal. E então, apenas em segundo lugar, porque acaba por ser algo que funciona, o que é muito útil. Portanto, quando falamos sobre a matemática que é ensinada nas escolas, que é a técnica, verifica-se que é apenas a parte mais chata e o que acontece é que nos esquecemos de ensinar a parte divertida da matemática. Por isso acredito fervorosamente que devemos celebrar tudo o que é divertido e divertido que a matemática possa ser.

-Eu sei que gostas muito de Jorge Luis Borges. O que você pode nos dizer sobre a relação entre o trabalho dele e a matemática?

-Sí, es uno de mis predilectos. Cuando lees a Borges podés ver cómo juega con la idea del infinito, de las paradojas, de las formas del espacio. Mi favorito es “La Biblioteca de Babel”, donde la misma está dispuesta como un panal con habitaciones hexagonales, pero el bibliotecario es desafiado con el problema de tratar de descifrar si la biblioteca es finita o infinita y cómo funciona o si acaso hay algo más allá de la biblioteca. Entonces esto, en su esencia, tiene que ver con lo que los científicos estamos tratando de comprender de nuestro universo. ¿Nuestro universo durará para siempre, o está envuelto y es finito?

Para mim, Borges explora em suas histórias algumas das grandes questões em que estamos interessados ​​cientistas. Por isso, estava interessado em conversar com os biógrafos de Borges para saber quanta ciência ele lia para montar suas histórias. Ele parece ter alguns livros interessantes sobre matemática em sua biblioteca pessoal, mas acho que o que ele fez foi usar a linguagem narrativa para explorar essas idéias porque ele considerava a linguagem técnica da matemática um pouco difícil. Então, o que ele fez foi encontrar uma nova maneira de explorar a idéia de um universo de quatro dimensões em histórias como " A Biblioteca de Babel ".

-Por que é tão difícil para nós, para o nosso cérebro, realmente imaginar o infinito?

-Porque nosso cérebro é finito. Temos um número finito de neurônios e temos um número limitado de processos de pensamento que somos capazes de fazer. O infinito, tradicionalmente, sempre foi algo incognoscível, algo além da nossa capacidade de navegar. Isso é o que eu acho extraordinário, porque os matemáticos, através dos séculos, encontraram maneiras de usar o "equipamento limitado" que nossa cabeça tem para coisas como navegar no infinito.

Eu falo disto em um pequeno livro meu que estará à venda em setembro e que será chamado "Como contar até o infinito". Não tem muitas páginas. É um livro curto, mas mostra como, usando nosso processo de pensamento finito, também podemos entender o que é o infinito. Na verdade, existem diferentes tipos de infinito , alguns maiores que outros. Isso é algo surpreendente sobre o cérebro humano que, apesar de ser finito, também pode conceber o infinito.

-Que conselho você daria para aquelas pessoas que querem melhorar seus conhecimentos em matemática?

Acho que tem a ver com "ler as grandes histórias", que são aquelas que ninguém nos contou na escola. Estudar matemática é mais ou menos como aprender a tocar um instrumento musical. Se a única coisa que eles permitem fazer é tocar escalas e arpejos, mas eles nunca fazem você ouvir a música dos grandes, é realmente excitante, então você não vai gostar da música.

Os livros que escrevi - "A música dos primos", que conta a história dos números primos; ou o livro sobre simetria, que nos ajuda a entender "o código" das simetrias em nosso universo; outra sobre os mistérios dos números, em que exploramos como encontramos a matemática na vida cotidiana - eles podem ser maneiras úteis de redescobrir, ou talvez descobrir pela primeira vez, por que a matemática é tão divertida e tão bonita.

Fonte:  infobae.com, 24/06/17.

Mais informação:

Borges e Matemática

O Mapa da Matemática

O grande mistério da matemática

Tempo e matemática

Vinte matemáticos famosos

Os números na natureza

Donald no mundo da matemática

A importância da matemática

Aquiles e a tartaruga

Matemática e jogos de azar

A arte matemática de Escher

A hipótese de Riemann, resolvida?

Euclides, Piet Mondrian e Matemática Vitoriana

O legado de Pitágoras, parte I - Os Triângulos de Samos

O legado de Pitágoras, parte II - Pitágoras e outros

O legado de Pitágoras, parte III - Pitágoras desafiador